PRANA Program

PRANA Program

Na Índia é dito que cada ser humano nasce com um número de respirações contadas.

Assim sendo, o que dirias sobre poder viver mais 10 anos graças à tua própria respiração?

O Prana (em sânscrito: प्राण, sopro de vida) é a energia vital universal. Esta bioenergia está presente no ar, no sol, na água e nos alimentos, e é absorvida pelos seres vivos através do ar que respiram, dos raios de sol que recebem, da água e dos alimentos que ingerem. Uma maçã, por exemplo, quanto mais tempo fora da árvore de origem, menos Prana terá. Um corpo morto, sem vida, seja ele humano, animal ou vegetal caracteriza –se principalmente por uma ausência total de Prana. Isto, que parece muito simples, é crucial para o que se segue.

No nosso corpo físico denso, o sangue flui através de veias e artérias. No nosso corpo físico energético o Prana flui através de caminhos chamados nadís (tradução = fluxos)

O Prana alimenta por sua vez ambos os corpos: físico denso e físico energético*, sendo fundamental na função celular e na regeneração das próprias células, órgãos e tecidos, assim como para mantermo-nos equilibrados, saudáveis, com energia, vitais e vivos.

*alguns chamam-lhe de corpo subtil ou emocional. Digamos que o corpo energético está composto de tudo aquilo que não se vê, mas que se sente – que não o possamos ver, não significa que não esteja presente ou que não seja importante.

Na MOLA trabalhamos com as Pessoas nas Organizações o nosso PRANA Program.

Porquê trabalhamos este tipo de conceitos no contexto empresarial e corporativo?

. Porque sabemos que o presente e o futuro do Desenvolvimento Pessoal e do Alto Desempenho está no BackToBasics, e nas resoluções mais ancestrais que acompanham ao Ser Humano desde á milhares de anos.

. Porque gerir a nossa energia e tão ou mais importante como gerir o nosso tempo, as nossas prioridades, o nosso stress, pois ao gerirmos bem a nossa energia, conseguimos gerir melhor todos os demais fatores.

. Porque é a energia que cada um de nós temos e a adequada utilização e aproveitamento da mesma, que faz com que posições de Liderança e muitas outras de alta demanda e/ou que requerem soft (hard) skills, sejam desenvolvidas com alto impacto pelas Pessoas, na Gestão, na Produtividade, e nos Relacionamentos inter-pessoais nas Organizações.

. Porque cada uma das técnicas que utilizamos neste tipo de programa, são específicas e vão aumentando gradualmente tanto na sua complexidade como nos seus efeitos. Estes efeitos são integrados na própria pessoa e incorporados em prol dos objetivos/ benefícios que se pretendam:

. maximizar a concentração e a determinação
. reduzir o stress
. proporcionar estados de calma e serenidade
. gerir inteligentemente as emoções
. incrementar os níveis de força, poder, motivação e realização
. promover a consciência, a presença e o estado de mindfulness
. equilibrar e equalizar a energia interna
. desintoxicar e regenerar corpo e mente
. prevenir a insónia
. recuperar os estados do “ser” e do “sentir”
. autoconhecimento através do diálogo interno corpo-mente
. integração plena – 720º, união

O que aconteceria se começássemos a ter então foco na energia e não apenas no conhecimento?
Estaríamos a apostar no que, mais cedo ou mais tarde, irá trazer consigo as suas próprias evidências no que a resultados quantitativos e qualitativos, se refere; ou seja: Performance e Cultura Organizacional.

E se trabalhando menos conseguíssemos fazer mais?
Aqui o mantra da MOLA: “From Working Hard To Working Better”.
Iríamos perceber e comprovar que não é quanto tempo dedicamos a uma determinada tarefa, e sim como gerimos a nossa energia perante a mesma. Encaixaríamos melhor as emoções em quanto realizamos estas tarefas e conseguiríamos prevenir o “desgaste” e fomentar a “auto-regeneração” de forma a estarmos lúcidos, ativos e com vontade para não procrastinar ou dilatar o trabalho e as responsabilidades. A própria procrastinação em si mesma, desgasta; e o desgaste crónico poderá derivar em stress acumulativo, e éste por sua vez em burn out, sendo o resultado final: ansiedade, tensão no estômago, problemas na digestão, dor crônica nas costas, ombros, pescoço, enxaquecas, insónia, instabilidade emocional, esgotamento, e outros sintomas que reduzem consideravelmente o potencial, debilitam, ou incapacitam.

Respiração, Alimentação e Descanso, se bem feitos, são fontes na obtençao e equalização de Prana, e a sua combinação é uma super tool para o Bem-Estar e para a Ultraprodutividade.

É por isto que o PRANA Program tem 3 pilares fundamentais:

. A Reeducação Respiratória
*Por ser a Respiração o nosso termómetro emocional.

. A Reeducação Alimentar
*Por ter a Alimentação um poder pronunciado sobre o nosso foco e sobre a nossa energia e emoções.

. O Descanso Inteligente
*Pela forte influência que os períodos de segmentação de tarefas e os tempos de reload e reset, têm sobre os nossos outputs.

• Começando pela 1a :

A Respiração é a primeira e última coisa que fazemos no inicio e no fim da vida, respetivamente; iniciamos a nossa vida com o uma inspiração e acabamos com uma expiração. A Respiração é pergunta e resposta ao mesmo tempo: como respiro, assim vivo e como vivo, assim respiro. Uma respiração torácica, curta, ofegante, é sinónimo de stress, ansiedade, y vice versa. Não podemos subestimar a respiração uma vez comprovamos em 1a pessoa o seu poder. Ela é a base de todo o nosso funcionamento interno e o comando perante os diferentes estímulos e experiencias, desde o  relacionamento connosco próprios até o relacionamento com os outros e com o mundo.

Temos por tanto nas nossas mãos uma ferramenta excelente para gerir a própria qualidade de vida. A proposta é tomarmos verdadeira consciência do anteriormente exposto e poder trabalhar a Respiração ao nosso favor.

Como? Através do processo de Reeducação Respiratória, mediante a realização de diferentes técnicas até a Respiração tornar-se autonomamente adequada, facto que vai fazer toda a diferença no que a autoconfiança, autossuficiência e autogestão se refere.

Da India, berço da maior parte destas técnicas, provem a designação: Pránáyáma| Prana, já vimos o que significava + Yama, que significa expansão.

Por tanto Pránáyáma = expansão do Prana

• Em segundo lugar:

A Reeducação Alimentar, com base na Brain Food, que por sua vez baseia-se na Alimentação Viva (Raw Food).

O movimento da Alimentação Viva surgiu nos Estados Unidos na década de 90 e vem ganhando cada vez mais adeptos em todo o mundo. Não se trata de uma dieta, mas sim de um estilo de vida em que os seus seguidores passam a comer apenas alimentos naturais, orgânicos e, de preferência, crus:

. alimentos naturais vs. alimentos processados –
dando prioridade às matérias primas e aos nutrientes.

No alimento animal, processado, com conservantes, açúcares ou gorduras, não á Prana, por isso este tipo de alimentação dá preferência a frutas, verduras, legumes, leguminosas, cereais integrais, sementes, azeites e óleos de boa qualidade, e alimentos fermentados como fonte pro-biótica.

. alimentos orgânicos –
preservando a nossa saúde ao não consumir agrotóxicos.

Ao reduzir ou eliminar o consumo de alimentos ricos em pesticidas, diminuímos também o risco de doenças crônicas e/ou autoinmunes, o stress, o índice de depressões, etc.

. alimentos crus –
preservando a energia vital – Prana -(dos alimentos).

Elementos excessivamente cozinhados perdem as suas enzimas, essenciais no processo digestivo sem fermentação interna e na consequente absorção dos nutrientes sem produzir inflamação. Estas enzimas só estão presentes no alimento vivo – cru, raw – onde também encontramos vitaminas e sais minerais ao nosso serviço.

Quando submetemos um alimento a uma temperatura maior do que 43º C graus, perdemos grande parte dos nutrientes. Segundo o Instituto Max Planck (organização alemã de pesquisas científicas), ao cozinhar a comida perdemos 50% das proteínas presentes, 80% das vitaminas e minerais e até 100% dos fito-nutrientes, além dais tais enzimas fundamentais para a boa digestão.

Adotar uma alimentação 100% crua é uma prática difícil e muito restritiva, por isso grande parte de seus adeptos come apenas partes dos alimentos “in natura”. Consumindo 80% de alimentos crus (amornados ou desidratados a uma temperatura inferior a 43º C graus), estaremos consumindo alimentos com alto teor nutritivo.

Seguem os princípios desta Reeducação Alimentar:

–Alimento é diferente de comida. Alimento nutre. Alimento deve proteger e promover a saúde, a vitalidade, a energia, o bom funcionamento hormonal, a regeneração celular, a boa qualidade de sono e um maior rendimento no trabalho.

–A Alimentação Viva não é uma dieta a ser seguida, por isso não há restrição alimentar. Não existe proibição de qualquer alimento. Existe sim uma consciência alimentar, um reconhecimento dos alimentos que fazem bem, que incrementam o humor, que diminuem a fadiga e o cansaço, que aumentam o foco, a criatividade e a produtividade. Precisamos que os circuitos da concentração e da distração que se produzem no cérebro sejam nutridos da forma certa, sem que sejam influenciados por outro tipo de sustâncias que os possam desvirtuar. De aqui vem o nome de: “Brain Food”.

–Os hábitos alimentares de cada pessoa podem ser mantidos e introduzir aos poucos técnicas e novos alimentos desse tipo de alimentação. As mudanças vão acontecer naturalmente com alguma preparação mental, previsão, disciplina, previsão, organização, disciplina, jejuns intermitentes, detox frequentes, e certas rotinas que nos vão ajudar a saber o que comer em cada momento e como combinar os alimentos, pois há determinados alimentos, como por exemplo as frutas, que devem ser ingeridos de forma isolada e por tipologias, sem misturas.

–A Alimentação Viva melhora a disposição e o bem-estar geral, dado que as fibras e as bactérias benéficas -pro-bióticos- presentes neste tipo de alimentação, garantem a saúde do intestino, que por sua vez tem a capacidade de melhorar a imunidade, e aumentar a produção de serotonina e a absorção das vitaminas e minerais. Além disso, com o consumo intenso de vegetais verdes, ricos em clorofila e fito-químicos, ocorre uma eliminação diária de toxinas, processo fundamental para a saúde e a longevidade.

• E finalmente:

O Descanso Inteligente, porque a promoção de espaços e tempos para o reload e o reset começam a ser um must na vida das pessoas. As próprias empresas oferecem aos colaboradores oportunidades para descansar o corpo e a cabeça de forma livre, para fazer uma descontração ou uma meditação guiada ou para aproveitar o “dolce fare niente”, tão importante para a criatividade e a motivação.

Este tipo de iniciativas espaço-temporais promovem esse descanso necessário, tema evidentemente decisivo para as Organizações nos dias de hoje, tal e como o próprio José Soares – Professor Catedrático de Fisiologia da Universidade do Porto – defende no seu conceituado livro “Reload”, desde uma abordagem científica: “O Reload, torna-se imperativo para a melhoria da performance de pessoas e equipas em ambiente corporativo, e na contemplação do equilíbrio pessoal-profissional” 

O cuidado da nossa estrutura física, mental e energética é o caminho para a Ultraprodutividade – produtividade sustentável, que contempla a exploração do máximo potencial possível sem diminuição da qualidade de vida.

“É importante termos a consciência de que nesta vida, que é única, nós somos os responsáveis pelo nosso desempenho vital, a todos os níveis”.