TRANSFORMAÇÃO - Desconstruir para Construir

TRANSFORMAÇÃO - Desconstruir para Construir

Nem tudo o que aprendeste até hoje é uma verdade e sabes disso, até porque a única verdade é a relatividade constante e a mudança permanente. O resto, depende.

Há 2 dias atrás estava a falar na Asamblea de OPC (Organizadores Profissionais de Congressos) em Madrid sobre Reprogramação Emocional e a sua importância nos processos de Transformação. Ao referir a necessidade do caos, do fracasso e da frustração como fase 0 ou revolucionária no processo para a mudança efetiva, os olhos da audiência estavam quase que a desacreditar-me pelas palavras que estava a pronunciar.

E é que tudo o que refira dor, esforço, insegurança, chatice de desarrumar as coisas que estão supostamente “no seu lugar” ou o incomodo do pó no ar ao abanar o tapete, não é do gosto de ninguém.

O Ser Humano, só muda por 2 principais motivos:

1. Porque a situação presente esta num nível insuportável
2. Porque realmente há uma motivação superior para a mudança

Começamos a aceitar que alguns modelos de pensamento, comportamento e ação ficam obsoletos, quando temos o olhar fixo em novos horizontes, bem pela própria necessidade de mudança, bem pela curiosidade ou inquietude inerente que faz parte de nós como pessoas e organizações.

Quando não existe um alinhamento no que pensamos, sentimos, falamos e fazemos, perdemos capacidade de realização e de sermos produtivos. Gera-se então um conflito interno-externo que prediz o que é um facto:

CADA SEGUINTE NIVEL DA TUA VIDA VAI EXIGIR UMA VERSÃO DIFERENTE DE TI

Na Cultura das Organizações encontramo-nos muito frequentemente com formatos que para nada estão em sintonia com os valores da própria empresa e muito menos com os valores dos colaboradores. Desde a Gestão da Liderança, a Engenharia Organizacional e o Happiness Management, as nossas 3 vertentes de especialização e atuação, trabalhamos a Mudança de Paradigma.

Um Paradigma é um conjunto de hábitos e comportamentos, que por sua vez geram padrões emocionais e de resposta. Quando o próprio Paradigma não é mais funcional, e podemos saber disso pelo conflito interno que surge entre o mesmo e os resultados que produz, surge a necessidade de substituir o modelo caducado por outro que sim se seja funcional.

A desconstrução dos modelos disfuncionais requer de plena disposição para substituir o “antigo pelo novo”, o “disfuncional pelo funcional”, através de vontade, determinação e disciplina.

Disciplina não é mais que organização, constância e compromisso. Fazer de novo, de novo e de novo. Como acontece com os cães, até o processo ficar automatizado.

¿Como se muda um Paradigma?

A mudança acontence quando as imaginações são maiores que as suas circunstâncias

Trata-se de fazer mudanças consecutivas e integradas chegando a mudar até, o tipo de consumo que fazemos.

Começamos por aplicar a Teoria dos Opostos.

A Teoria dos Opostos nos revela a importância de conviver de maneira consistente com o “lado oposto” do que pretendemos mudar. É altamente efetiva. Trata-se de repetir de forma sistémica o oposto do hábito que pretendemos mudar até a substituição tornar-se um facto. Estudos demonstram que são precisos apenas 69 dias para mudar um hábito ou comportamento.

Exemplo: Se habitualmente sou impontual para fazer o que quer que seja, durante 69 dias consecutivos estarei 10 minutos antes da hora acordada fazendo o que é suposto estar a fazer na hora h.

Neste processo é importante o foco.

1. Saber o que quero. Às vezes para conseguir o que quero é apenas necessário saber o que quero.
2. Uma vez que sei onde quero ir, reservo o meu assento orgânico, aquele que tem em conta o que sou, onde estou e a onde quero chegar e aplico a Mentalização Positiva que vai fazer com que consiga manter um mindset de Certeza durante todo o processo.

A través da Mentalização Positiva reforçamos em tempo real o processo de Transformação.

Iremos dedicar um capítulo especial a este assunto da Mentalização, conforme merece, dada a relevância do seu impacto em processos de Coaching ou Mentoring onde obtemos respostas que nos ajudam neste processo de Transformação:

HUMILDADE, DESAPEGO, RESILÊNCIA, ACEPTAÇÃO, PERDAÕ, GRATIDÃO E CONTENTAMENTO.

“Se quisermos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova” (Mahatma Gandhi)